A formação do subesquema argumental causativo no português brasileiro

Monclar Guimarães Lopes, Vanda Maria Cardozo de Menezes

Resumo


Este trabalho tem como objetivo descrever, sob a ótica da Linguística Funcional Centrada no Uso, a emergência de um subesquema de valor causativo no português brasileiro, que pode acarretar mudança de transitividade e aumento de valência em verbos tipicamente monoargumentais, como desaparecer e sumir, ou expandir as possibilidades de uso de verbos já transitivos, como ocorre com acabar. Com base na visão de construção defendida por Goldberg (1995), defende-se a existência de uma correspondência de forma-sentido de natureza mais esquemática e abstrata. Nesse sentido, os verbos supracitados sofrem uma coerção tanto na forma quanto no sentido, a partir do momento em que são recrutados por uma nova construção.

Texto completo:

PDF

Referências


CROFT, William. Radical construction grammar. New York: Oxford University Press, 2001.

DAVIES, M.; FERREIRA, M. Corpus do português: 45 million words, 1300s-1900s, 2006. Disponível em http://www.corpusdoportugues.org. Acesso em 18/08/2017.

DIEWALD, G. Contexts types in grammaticalization as constructions. Hannover. Set de 2006. Disponível em Acesso em 29 de agosto de 2016.

GOLDBERG, A. A construction grammar approach to argument structure. London: Chicago University Press, 1995.

LANGACKER, R. Cognitive grammar. New York: Oxford University Press, 2008.

LIMA, R. Gramática normativa da língua portuguesa. Rio de Janeiro: José Olympio, 1972.

LOPES, M. G. Transitivização de desaparecer em perspectiva cognitivo-funcional. Tese de doutorado. Instituto de Letras, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015.

TRAUGOTT, E. C.; DASHER, R. B. Regularity in semantic change. Cambridge: Cambridge University Press, 2005.

TRAUGOTT, E. C.; TROUSDALE, G. Constructionalization and constructional changes. New York: Oxford University Press, 2013.




DOI: http://dx.doi.org/10.18364/rc.v1i54.213

ISSN: 2317-4153 | Indexadores