Fontes manuscritas sobre a língua geral da Amazônia escritas por jesuítas tapuitinga (século XVIII)

Candida Barros, Ruth Maria Monserrat

Resumo


RESUMO:
O trabalho apresenta o levantamento de documentos setecentistas sobre a língua geral com indícios de terem sido escritos por um pequeno grupo de jesuítas da Europa Central (tapuitinga) que chegou à Amazônia entre 1750 e 1753 e aponta algumas das estratégias de aprendizado da língua geral empregadas por eles.

PALAVRAS-CHAVE:
Língua geral; dicionários; catecismos; jesuítas da Europa Central

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Antônio de. Catecismo na Língua Brasílica. Rio de Janeiro: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, [1618] 1952.

ARAÚJO, Antônio de & LEÃO, Bertholameu. Catecismo Brasilico da doutrina Christaã, com o cerimonial dos Sacramentos, & mais actos Parochiaes. Composto por Padres Doutos da Companhia de Jesus, Aperfeiçoado, & dado a luz pelo Padre Antonio de Araújo da mesma Companhia. Emendado nesta segunda impressão pelo P. Bertholomeu de Leam da mesma Companhia. Lisboa: Officina Miguel Deslandes, 1686.

ARAÚJO, Domingo. Chronica da Cia de Jesus da missao do Maranhao pelo Padre Domingos de Araujo, 1720.

ARENZ, Karl Heinz. Os possíveis autores do Dicionário de Trier (1756) . In: Extrato de um dicionário jesuítico de 1756 em língua geral da Amazônia - Letra A: Português-Língua geral. Portal BNDigital (em fase de edição).

AYMORÉ, Fernando Amado. A literatura etnográfica dos jesuítas alemães sobre o Brasil e a América Espanhola nos séculos XVII e XVIII. Palestra apresentada no Museu Goeldi, Belém.

BARROS, Cândida . A portrait of the religious tupi interpreter in Bazil in the sixteenth century. Itinerario. Leiden, v. 25, n.2,, 2001, p. 110-140

BETTENDORFF, João Felipe. Compêndio da Doutrina Christaã na Língua Portuguesa e Brasílica. Lisboa: Imprensa Miguel Deslandes,1687.

BLUTEAU, Rafael. Vocabulário Português e Latino. 1728. Disponível em: . Acesso em 14 de agosto de 2015.

CLANCHY, Michael T. From Memory to Written Record: England 1066-1307. Wiley-Blackwell, 2012.

Códice tupi. Fazenda de Gibrié. Londres: British Library, 1757

DANIEL, João. Tesouro descoberto no Rio Amazonas. 2 volumes, Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional, 1976

Diccionário da Lingua geral do Brasil que se falla em todas as villas, lugares e aldeas deste vastissimo Estado. Escrito na Cidade do Pará. Coimbra: Biblioteca da Universidade de Coimbra, 1771

Dicionário da Lingua Brazilica. Coimbra: Biblioteca da Universidade de Coimbra. ms. 94, s.d.

Dicionário Português-Língua Geral e Língua Geral–Português. Ms. 1136/2048. Biblioteca Municipal de Trier, 1756.

DIETRICH, Wolf. O dicionário de Trier em comparação com dois outros dicionários de língua geral amazônica. In: Extrato de um dicionário jesuítico de 1756 em língua geral da Amazônia - Letra A: Português-Língua geral. Portal BNDigital (em fase de edição).

Doutrina christaã em lingoa geral dos Indios do Estado do Brasil e Maranhão, composta pelo P. Philippe Bettendorff, traduzida em lingoa geral e irregular, e vulgar uzada nesses tempos. Biblioteca da Universidade de Coimbra, s.d.

ECKART, Anselmo. Rol de alguns trastes da Missaõ que era do Trocano, e hoje Villa deBorba a Nova depozitados na ditta Vila por serem empedidos por Ordem do Exmo. Governador Clapitam [?] Gen[ner]al deste Estado Snr Fran[cis]o Xavier de Mendoça Furtado pertendendo eu Levallo pela Ordem que tinha do meu prelado de M. Rdo P. Fran[cis]co de Toledo da Companhia de Jesus Visistador geral, e vice Provincial do Maranhão, os quais trastes sao os seguintes. (Coleção Pombalina) fol 194. Biblioteca Nacional de Lisboa.10 de junho de 1756.

________. Papéis do P. Ancelmo Eschard. Torre do Tombo, 1759.

________. Specimen Linguae Brasilicae vulgaris. Journal zur Kunstgeschichte und zur allgemeinen Litteratur, 1778, p. 195-213. Disponível em: . Acesso em 14 de agosto de 2015.

________. Zusatze sum Specimine Linguae Brasilicae vulgaris. Journal zur Kunstgeschichte und zur allgemeinen Litteratur 5., 1779, p. 121-122. Disponível: http://www.ub.uni-bielefeld.de/diglib/aufkl/journkunst/. Acesso em 14 de agosto de 2015.

________. O Exemplário da língua corrente do Brasil. Tradução do latim de Carlos Antônio Kalil Tannus e Miguel Barbosa do Rosário. Terceira Margem, UFRJ, Rio. ano 2, n. 2, 1994, p.176-180.

FIGUEIRA, Luis. Arte de grammatica da língua brasílica. Lisboa: Officina de Miguel Deslandes, 1687.

Gramática da Lingua Geral do Brazil. Com hum Diccionario dos vocabulos mais uzuaes para a intelligencia da dita língua. Pará. (Ms. 69). Biblioteca da Universidade de Coimbra, 1750.

LAMEGO, Antônio. A terra goytacá. Tomo 3. Bruxelles: L´edition D´Art Gaudio, 1925.

MENDONÇA, Marcos Carneiro de. A Amazônia na era pombalina: correspondência inédita do governador e capitão general do Estado do Grão Pará e Maranhão Francisco Xavier de Mendonça Furtado, 1751-1759. 3v. Rio de Janeiro: IHGB, 1963.

MESSNER, Dieter. Anotações aos primeiros dicionários português-tupi.. Miscelánea lexicológica iberorrománica. Salamanca: Luso-española de Ediciones. 2008, p. 255- 272.

MEIER, Johannes & AYMORÉ, Fernando Amado. Jesuiten aus Zentraleuropa in Portugiesisch- und Spanisch-America. Ein bio-bibliographisches Handbuch. Band 1: Brasilien (1618-1760). Münster: Aschendorff Verlag, 2005

MONSERRAT, Ruth. Marcas de escrita de falante de alemão no Dicionário de Trier. In: Extrato de um dicionário jesuítico de 1756 em língua geral da Amazônia - Letra A: Português-Língua geral.Portal BNDigital (em fase de edição ).

MONSERRAT, Ruth; BARROS, Cândida; MOTA, Jaqueline. Comparação entre dois diálogos de doutrina jesuíticos tupi: João Filipe Bettendorff (1687) e José Vidigal (1740) In: Anais da XIII Jornadas Internacionais Missões Jesuíticas, Dourados. XIII Missões jesuíticas, 2010.

MULLER, Jean-Claude. Die Identifizierung eines Sprachschatzes in der Trierer Stadtbibliothek das jesuitische Wörterbuch Alt-Tupi/Portugiesisch. Kurtrierisches Jahrbuch, v. 52, p. 371-387, 2012.

NAVARRO, Eduardo. A escravização dos índios num texto missionário em língua geral do século XVIII. Revista USP, v. 78, 2008,pp. 105-114

________. Um texto anônimo, em língua geral amazônica, do século XVIII. Revista USP, v. 90, 2011, p.181-192.

PAPAVERO, Nelson; PORRO, Antonio (orgs.). Anselm Eckart S. J. e o estado do Grão-Pará e Maranhão setecentista (1785). Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2013

PAPAVERO, Nelson. Nomes de animais em três manuscritos jesuíticos em Língua Geral do século XVIII (Eckart, ma 569 da Academia de Ciências de Lisboa e manuscrito da Universidade de Trier). Arquivos de Zoologia. São Paulo, volume 46 (1), 2015, p. 1-39.

PAPAVERO, Nelson; BARROS, Cândida. O “Vocabulario da lingua Brazil” (códice 3143 da Biblioteca Nacional de Portugal) e os Zusätze o Pe. Anselm Eckart, S.J. (1785): Obras do mesmo autor”. In: PAPAVERO, Nelson; PORRO, Antonio (orgs.). Anselm Eckart S. J. e o estado do Grão-Pará e Maranhão setecentista (1785). Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2013, p. 337-351.

PAPAVERO, Nelson; BARROS, Cândida; NEBGEN,C.. Lista dos papéis apreendidos de Anselmo Eckart em 1759. In: PAPAVERO, Nelson; PORRO, Antonio (orgs.). Anselm Eckart S. J. e o estado do Grão-Pará e Maranhão setecentista (1785). Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2013

PEREIRA, Bento..Prosodia vocabularium bilíngüe latinum, et lusitanum digesta. Nona editio. Eborae. Typ. Academiae, 1741

PRAZERES [Maranhão], Frei Francisco de Nossa Senhora dos. Poranduba maranhense, ou Relação historica da provincia do Maranhão [...] com [...] um dicionario abreviado da lingua geral do Brazil. Revista Trimensal do Instituto Historico e Geographico Brazileiro. v. 54, pt. 1, p. [4]-277. Inclui ‘Nota sobre o Poranduba Maranhense’, de César Augusto Marques, p. 279-281]. Disponível : . 1891. Acesso em 15 de agosto de 2015.

Prosodia. Dicionário da língua falada por índios do Brasil.Lisboa: Academia de Ciências de Lisboa. no. 569, s.d.

PRUDENTE, Gabriel. Grupos indígenas e lugares amazônicos no dicionário de 1756: um breve mapeamento histórico Extrato de um dicionário jesuítico de 1756 em língua geral da Amazônia - Letra A: Português-Língua geral. BNDigital (em fase edição)

________. Marcas germânicas: possibilidades de autoria de um dicionário em língua geral através do estudo dos verbetes. In: Anais do IX Jornada de Iniciação Científica dos Grupos PET. (CD-ROM). Belém: IX Jornada de Iniciação Científica dos Grupos PET, 2013.

________. Identificando catecismos e gramáticas de língua brasílica em um dicionário de língua geral do setecentos. In: Livro de Resumos do XXI Seminário de Iniciação Científica - PIBIC. Belém: Museu Paraense Emílio Goeldi, 2013, p. 108-108.

Relação abreviada da república que os religiosos jesuítas das Províncias de Portugal e Espanha estabeleceram nos domínios ultramarinos das duas monarquias; e da guerra que neles tem movido e sustentado contra os exércitos espanhóis e portugueses, formada pelos registos das secretarias e dos dois respectivos principais comissários e plenipotenciários e pos outros documentos autênticos. 1757

RÓNAI, Paulo. As cartas do P. David Fáy e a sua biografia. Contribuição para a história das missões jesuíticas no Brasil no século XVIII. Anais da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, vol. LXIV, 1942, p. 193-273. Disponível: . Acesso:7 de agosto de 2015.

ROSA, Maria Carlota. Um exemplo de descrição pedagógica no século XVIII: O Specimen linguae brasilicae vulgaris e a tradição jesuítica de ensino de segunda língua. Terceira Margem. Revista da Pós-graduação em Letras da UFRJ. Ano II, n.2, 1994, p. 181-189.

Vocabulário na língua brasílica. Rio de Janeiro: Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro. 1751

Vocabulário na Língua Brazil. Biblioteca Nacional de Lisboa, Códice 3143, s.d.




DOI: http://dx.doi.org/10.18364/rc.v1i49.103

ISSN: 2317-4153 | Indexadores